AbcMed  -  Gravidez
Gravidez - 26/08/16
Amniocentese1, também referida como exame do líquido amniótico2, é um procedimento no qual o médico retira uma pequena quantidade de líquido da bolsa amniótica3 que envolve o feto4 em desenvolvimento, para ser examinado em laboratório.
1 Amniocentese: Consiste na obtenção do líquido amniótico que banha o feto através da punção da cavidade amniótica. Realizada entre 15 a 18 semanas de gravidez, para avaliar problemas genéticos do bebê.
2 Líquido amniótico: Fluido viscoso, incolor ou levemente esbranquiçado, que preenche a bolsa amniótica e envolve o embrião durante toda a gestação, protegendo-o contra infecções e choques mecânicos e térmicos.
3 Bolsa amniótica: Bolsa amniótica ou âmnio é um dos anexos embrionários que alguns vertebrados (répteis, aves e mamíferos) possuem durante o seu desenvolvimento embrionário. Também conhecida como saco amniótico, é onde o feto se desenvolve no líquido amniótico.
4 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
   [Mais...]

Gravidez - 18/08/16
As vilosidades coriônicas1 são projeções delgadas de tecido2 placentário que compartilham a mesma composição genética do bebê. Uma biópsia3 de vilo corial é um exame invasivo pré-natal em que uma amostra das vilosidades coriônicas1 é removida a partir da placenta, para testes em laboratório.
1 Vilosidades coriônicas: A superfície da bolsa amniótica é recoberta por projeções chamadas vilosidades coriônicas, que penetram no endométrio. Ao redor das vilosidades formam-se lacunas por onde circula o sangue materno. Assim elas permitem trocas de substâncias entre o sangue do embrião, que circula nas vilosidades, e o sangue materno, que circula nessas lacunas. Alimento e oxigênio passam do sangue da mãe para o feto, enquanto excreções e gás carbônico fazem o caminho inverso. As vilosidades coriônicas são formadas a partir de um acúmulo de células oriundas do citotrofoblasto que se projetam para o sinciciotrofoblasto iniciando esse desenvolvimento no final da segunda semana de gestação quando são classificadas como primárias. Nas semanas seguintes, tornam-se ramificadas e se denominam vilosidades coriônicas secundárias e posteriormente, terciárias quando, então, formam a parte funcional da membrana placentária na porção embrionária.
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
3 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
   [Mais...]

Gravidez - 15/08/16
Malformações1 fetais são defeitos na formação de um órgão, parte de um órgão ou de uma região maior do corpo durante a gestação e já presentes por ocasião do nascimento. Quase invariavelmente, toda mulher grávida durante o pré-natal preocupa-se com uma possível malformação2 do feto3, embora isso só ocorra em menos de 1% dos partos.
1 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
2 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
3 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
   [Mais...]

Gravidez - 04/08/16
Quando a mulher se descobre grávida, é quase inevitável a curiosidade: menino ou menina? Qual o sexo do bebê? Até há uns poucos anos, era impossível saber isso antes do nascimento. Atualmente, existem meios científicos de se conhecer o sexo do bebê a partir de poucas semanas de gestação.   [Mais...]
Gravidez - 01/08/16
A gravidez1 é um período cheio de novidades e alegrias, mas nele também costumam aparecer dúvidas e incertezas. Para ajudar a esclarecer algumas das perguntas que as grávidas se fazem, reunimos neste material as principais questões que aparecem nesta fase da vida.
1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
   [Mais...]

Gravidez - 18/07/16
Essa é uma pergunta muito feita pelas mulheres em idade fértil, que mantêm uma vida sexual regular ou esporádica e que tenham mantido relação sexual no seu período fértil ou nas proximidades dele. A resposta é sempre aguardada com muita ansiedade.   [Mais...]
Gravidez - 28/06/16
A gestação humana normal dura 40 semanas, tempo em que o embrião passa de uma simples célula1 a um bebê pronto para nascer. Veja o que acontece a cada semana de desenvolvimento da gravidez2.
1 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
   [Mais...]

Gravidez - 23/06/16
Transcorridos os nove meses da gestação, o organismo da mulher se prepara para um parto genital normal. Há dois tipos de partos vaginais: (1) partos vaginais naturais, apenas com pequenas intervenções extremamente necessárias e (2) partos vaginais cirúrgicos, que acontecem com anestesia1, aplicação de ocitocina2 e/ou com episiotomia3.
1 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
2 Ocitocina: Hormônio produzido pelo hipotálamo e armazenado na hipófise posterior (neuro-hipófise). Tem a função de promover as contrações uterinas durante o parto e a ejeção do leite durante a amamentação.
3 Episiotomia: Corte cirúrgico feito no períneo (área entre a vagina e o ânus), realizado com anestesia local, se a mulher ainda não estiver anestesiada, para alargar o canal do parto e, supostamente, ajudar o nascimento do bebê.
   [Mais...]

Gravidez - 22/06/16
Chama-se “trabalho de parto” ao conjunto de eventos fisiológicos que possibilitam e promovem a expulsão e o nascimento do bebê. De forma natural e dentro da normalidade fisiológica1, esse “trabalho” desemboca na expulsão do feto2 através da vagina3, num parto dito normal ou vaginal.
1 Fisiológica: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
2 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
3 Vagina: Canal genital, na mulher, que se estende do ÚTERO à VULVA. (Tradução livre do original
   [Mais...]

Gravidez - 28/09/15
Testes de gravidez1 detectam se a mulher está ou não grávida. Existem vários tipos deles: para alguns, a paciente deve urinar diretamente sobre uma fita, para outros a urina2 deve ser coletada num recipiente em que a fita é mergulhada. Os testes detectam a presença ou não do hormônio3 beta-gonadotrofina coriônica (β-HCG) na urina2, produzido a partir do momento em que o óvulo4 é implantado no útero5.
1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
3 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
4 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
5 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
   [Mais...]

Mostrar: 10
< - 1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - >
11 a 20 (Total: 60)
  • Entrar
  • Assinar